Assum Preto
Tudo em vorta é só beleza
Céu de abril e a mata em flô
Mas Assum Preto, cego dos óio
Não vendo a luz ai canta de dô

Talvez por ignorância
Ou maldades das pió
Furaro os óio do Assum Preto
Pra ele assim, ai cantá mió

Assum Preto vivi sorto
Mas num pode avuá
Mil vezes a sina de uma gaiola
Desde que o céi ai, pudesse óia

Assum Preto, o teu cantá
É tão triste como o meu
Também roubaro o meu amô, ai
Que era a luz, ai dos óio meu
 

Login do Usuário

Usuários Online

Nós temos 58 visitantes online

Estatística

Visualizações de Conteúdo : 111438