Meu coração é um padeiro
No cenário mundial, entre outras mil
No universo dentre as nações
Já não é, sequer, apenas uma estrela
Sendo bela quanto as mais belas constelações
Teu passado espelha bem tanta cultur
Teu presente mostra bem tanta fartura
Teu futuro, não, eu nem posso comentar
(A emoção me cala a voz do coração)

Terra dos coqueirais e babaçuais
(É claro!...)Terra dos cafezais e dos algodoais
(Por certo!...)
Terra onde o anil, do céu, ah, é bem mais anil
(Pra sempre!...)
Terra do povo pacato e gentil...

Vem ver
A sociedade no asfalto
Gastando o seu salto
Sambando a pleno vapor
Vem ver
O morro na arquibancada
Apreciando a moçada
Desfilando com garbo e esplendor
Vem ver
Que aqui não há preconceito
O negro tem alma branca
(Há uma igualdade sem par)
Vem ver
Esse povo hospitaleiro
Em cujo peito há um pandeiro
Eternamente a tocar
...E cada vez melhor...
Vem ver esse povo hospitaleiro
Em cujo peito há um pandeiro
Eternamente a tocar

E já dizia Caminha:
Essa terra tudo dá.
 

Login do Usuário

Usuários Online

Nós temos 26 visitantes online

Estatística

Visualizações de Conteúdo : 111588